Os números de 2012

9 jan

Os duendes de estatísticas do WordPress.com prepararam um relatório para o ano de 2012 deste blog.

Aqui está um resumo:

600 pessoas chegaram ao topo do Monte Everest em 2012. Este blog tem cerca de 5.700 visualizações em 2012. Se cada pessoa que chegou ao topo do Monte Everest visitasse este blog, levaria 10 anos para ter este tanto de visitação.

Clique aqui para ver o relatório completo

O diabo mora nos detalhes, o sucesso também

8 dez

Nana

Em primeiro lugar, sei que faz bilênios que não dou as caras por aqui, mas é que houve contratempos que não vale gastarmos mais tempo e espaço para comentar. A novidade, já velha, é que agora sou uma moteleira casada!! Na verdade, há pouco mais de um ano.

Eu pensei que não ia cair no pecado capital de casar e abandonar nossos queridos motéis, mas o fato é que, uma vez que você tem um lar, uma cama, ali tão disponíveis, a iniciativa moteleira inevitavelmente decai…

Um belo dia, digo bela noite, mais precisamente hoje (gente que moderno, estou escrevendo meu primeiro post diretamente do motel no meu smartphone!), decidimos sair do marasmo e vir para o motel. Já que a frequência agora é menor, queríamos um bom, mas que também não fosse absurdo de caro- afinal agora arcamos com todos os custos de uma casa também. Escolhemos o Apple.

Custo benefício excelente, pelo menos ateh aqui. A decoração é bonita, clean, com detalhes interessantes. Nosso quarto, o mais básico-Limão, tem uns vasos com detalhes dourados, uma cadeira estilosa de madeira, uma iluminação bacana e dois chuveiros (sempre ponto positivo).

A comida foi outra grata surpresa! Comemos uma salada muito gostosa, folhas variadas, parmesão, batata palha, bacon e molho de iogurte. Uma massa show, nhoque com molho branco, ervilha e shitake, gratinado! A sobremesa também deliciosa, rolinho primavera de banana e doce de leite com sorvete de creme. Só fica a dica, quem for escolher esse doce no futuro, peça faca. Eu e o amor penamos pra comer o doce só com colheres!

Aí um claro exemplo de como detalhes são muito importantes e sempre podem ser bem trabalhados. Outros dois pontos que prejudicaram o desempenho do Apple pra gente foram: tem wi-fi mas não funcionou (estou no 3G) e uma luz está quebrada, não apagada, mas com uns tilts de ficar piscando que incomoda um pouco.

Pontos positivos para a decoração, para o serviço (as meninas da recepção foram muito atenciosas ao telefone) e para a comida. Não se pode dizer que é um motel barato, mas pela localização e pelo conjunto da obra, acho dentro do justo. A salada ficou na faixa de 13 reais, a massa na faixa de 25 e a sobremesa também 13. Dica, o período de 4h da suíte limão custa 139, mas tem desconto de 20% no guia de motéis, basta imprimir o cupom!

E como gosto de repetir, dar uma mudada na vida sexual sempre dá um up na vida da gente e um bom motel excelente caminho, recomendo! Agora vou indo que o amor já vai chamando. Até!

Motel: Apple
Endereço: Av Marquês de São Vicente 1678
Preço da suíte: 139 reais (4h na sexta-feira)
Nota: 9

20121208-000330.jpg

Na rua, na chuva, na fazenda e também no litoral!!!

12 jan

Nana

Ifchavier / Creative Commons

Ifchavier / Creative Commons

Eu e o amor queríamos dar uma escapadinha rápida durante um fim de semana de reencontro familiar em Santos. O motel escolhido não poderia ter um nome mais propício: Anonimato!

Antes de entrar nos detalhes do motel em si, que acabou até que razoavelmente bem avaliado nos meus quesitos, queria comentar outros fatores. Primeiro, como é bom voltar a ter uma adrenalina sexual de vez em quando. Depois de anos de relacionamento, começa a ficar relativamente fácil e acaba sendo bom quando um desafio se apresenta, viu! Recomendo! Eu e o amor fizemos o maior malabarismo para dar conta de dar carona pra todo mundo (amigos e família usando o mesmo carro no weekend), para estar presente aos almoços, praias e festinha de aniversário e dar conta de dar um pulinho no Anonimato. Gente, eu achei que a correria ia ser estressante, mas no fim foi excitante!

Agora outra questão que me interessou, o turismo moteleiro! Pela primeira vez fui a um motel fora da cidade de São Paulo e foi muito interessante nesse sentido. Confirmei, por exemplo, que em outros lugares não se retém documento mesmo na recepção, como outros moteleiros já haviam mencionado. Quero daqui pra frente incluir visitas a motéis em meus futuros passeios turísticos nacionais.

Quanto ao Anonimato, recomendo! É bem honesto quanto ao que promete ser. Um lugar limpo, bem servido e com um preço ok. Nós usamos a suíte top, chamada de Anonimato, com hidro: 121 reais pelo período de 4 horas. Pontos negativos foram as longas escadarias até o quarto (over) e o motorista precisa ser muito bom de braço, para entrar e sair do motel e da suíte. Ah, e a velha briga com o lençol que forra o colchão sem elástico, senhorrr!!

Fora isso, hidro limpíssima e gostosa, espelho no teto em três faixas(3 espelhos retangulares), luz negra (que nunca tinha usado antes, achei que seria brega, mas foi mto legal! tive a impressão que disfarça as nossas imperfeiçõezinhas), decoração clean e bonita, com umas mini palmeirinhas e jardim de pedras, mto bonitinho.

Ah gente só pra dividir. Sempre que você for deixar a água escorrendo pra encher a hidro enquanto você aproveita a suíte, tenha certeza que ela está quente!!! Ou você vai acabar que nem eu e o amor em uma piscina fria borbulhante (rs)! Sem ressentimentos, paixão! Mas depois deu tudo certo, na nossa correria dos 50 minutos cravados, conseguimos aproveitar bem, entrar na hidro fria e ir trocando a água até ela ficar quentinha e gostosinha! Fala aí, que casal ágil hein!!! 

Motel: Anonimato
Endereço: Av. Senador Feijó, 720, Vila Mathias – Santos – SP
Preço: 121 reais (suíte Anonimato)
Nota: 7,5
Ponto alto: luz negra!
Ponto baixo: escadaria (nada acessível) e dificuldades de manobra

Susexo

4 jan

Getty Images

Amores, as @moteleiras estão caminhando a passos largos rumo ao sucesso. Somos matéria de revista, bem. Duvida? Olha aqui então. A revista é a Moteleiro, do grupo Guia de Motéis.
É muito glamour, muito brilho. Passa lá!

Quando o Saci foi ao motel.

20 dez

Flor

Getty Images

Desde o início do blog eu tenho dois “sonhos”. Um é convidar alguém com mobilidade reduzida pra avaliar motéis e contar se eles são democráticos e se levam em conta este público tão essencial. O outro é convidar um casal gay (já fiz algumas propostas e até hoje só fui enrolada) com o mesmo objetivo. Bom, o amor fez o favor de realizar um dos meu sonhos  tornando-se, temporariamente, alguém com mobilidade reduzida. Lá fomos nós, rumo ao Le Jardin. Uma amiga já tinha falado muito deste motel e eu estava curiosa. Os motéis na zona norte da capital não são nossa especialidade por uma simples questão de logística. Mas a verdade é que eles nem são tão difíceis assim. O Le Jardin fica ali na Marginal do Tietê com a ponte da Casa Verde. Escolhemos a suíte Samambaia. Tem cama redonda, hidro e ducha dupla. A decoração é bem ok, apesar de um tom bege em algumas coisas, principalmente do banheiro. Não chega a incomodar. Mas o bege é uma coisa difícil… pra mim, revela a idade do motel. E a gente não quer saber da idade do motel se ela não for pouca. Se eu fosse um moteleiro, por exemplo, nunca na vida faria uma propaganda “desde 1970 proporcionando seus melhores momentos” ou qualquer coisa do tipo. Medo. Mas a mobilidade reduzida aqui é o tema. Como eu disse, o amor fez o teste. Tudo bem que ele já pode entrar pras paraolimpíadas, sabe se virar bem… Mas é importante dizer que não teve problemas. É, ele não usava uma cadeira de rodas. Mas o Le Jardin não tem escadas pro quarto. Há apenas um degrau pra subir na cama e claro, entrar na hidro pode ser uma aventura pra quem de fato não pode levantar as pernas. A hidro não é fantástica. Nela, havia pelinhos e otras cositas más. Coisas da vida. Já me acostumei. Acho que nunca tinha escrito sobre camas redondas aqui. Elas são legais, deixam a vibe motel completa. O quarto também tem espelhos, no teto e na lateral da cama. Não tem frigobar: coisa que eu não consigo entender. Até você pedir uma cerveja e ela chegar, já foi. Passou o momento. É o tipo de coisa que tem que estar a disposição. Me vê duas, mais duas… agora mais duas… ? A Nana falou no post do Acaso sobre a atenção da recepcionista que reservou por alguns minutos uma suíte pra ela, que estava a caminho. Fiz o teste. Liguei e pedi a mesma coisa no Le Jardin. É, não fui atendida. Entendo, mas seria bem legal se isso acontecesse. Resumindo, lugar ok. Se não houvesse tantos motéis em São Paulo, poderia voltar lá. Mas ainda há um mundo a ser explorado.

Motel: Le Jardin
Endereço:Ac. Av. Ordem e Progresso, 45
Preço: 110 reais
Nota: 6,5
Ponto alto: a cama redonda

As meninas e a lua.

6 dez

Flor

Getty Images

É gente, é pessoal, é muito íntimo, talvez não devesse ser dito. Mas, para mim, há mais uma entre as muitas funções do motel que deveria ser comentada aqui. Meninas, assim como a lua, vivem ciclos naturais. No final deles, um pouco depois da TPM, ela vem, a própria menstruação. Muita gente, principalmente quem está no começo de um relacionamento, acha que é melhor dar um tempo neste período. Sei lá, tirar uma folga do amor. Concentrar os encontros em almoços e cineminhas. A gente não.

Talvez pros meninos não seja tão legal, eu entendo. Mas pra gente é. Bom, já conversei com algumas meninas que dizem da intensidade sobrenatural do orgasmo nesta época do mês. O problema é que não é tão simples. Pobres lençóis, pobres toalhas, enfim… Em casa a gente dobra o cuidado. Isso atrapalha o desenrolar do amor. É aí que surge uma das funções do motel: transar a vontade até naqueles dias.

Fomos pela segunda vez ao Snob’s. Inclusive já há um post sobre ele aqui. Os motivos? Estávamos na Vila Mariana, não podíamos gastar muito, não precisávamos de muita pirotecnia (se é que você me entende) e eu estava naqueles dias. O Snob’s cumpre muito bem a função.

Escolhemos a suíte Madri, a segunda melhor. Era um domingo a noite e não havia muitas opções. O quarto é ok, com hidro e nada demais. A verdade é que o lugar era só um pano de fundo para uma noite que precisava ser vivida. Poderia ser quase qualquer lugar. Na minha cama, talvez não. Significaria que eu teria que lavar lençóis. No, thanks. É um pouco foda pensar que alguém terá que lavar o seu lençol pra você. Não é exatamente justo com o ser humano. A gente não se sente bem com isso, tenta não causar demais. Mas… Eu penso que tem gente que faz coisa muito pior no quarto, seguramente. Acho que as moças estão meio preparadas pra isso.

Eu queria conhecer uma camareira e conversar sobre isso. Se algum dia alguma nos honrar com uma leitura, compartilho aqui que eu sempre saio feliz do motel e que agradeço muito por poder transar tranqüila naqueles dias também.

Motel: Snob’s
Endereço: Av. Dr Ricardo Jafet, 1450
Preço: 77 reais
Nota: 6
Ponto Alto: cumpre a função honestamente.

Agora sim: achei!

24 nov
Iko / Creative Commons

Iko / Creative Commons

Nana

Gente, a vida tá corrida e pra variar escrevo o post já umas 3 semanas depois de visitar o motel, que dessa vez foi o Acaso, que fica na zona leste de sampa. Sério: MARAVILHOSO, cheguei ao céu! Rs, mas vamos aos detalhes:

Eu e o amor fomos comemorar atrasados o nosso aniversário de namoro de 8 anos, queríamos algo de nível. Então aproveitei a dica que o Guia de Moteis passou pra gente do Acaso, que eles recomendavam muito! Olha, pra mim a localização era um tanto fora de mão, já que fico mais na zona sul e oeste da cidade, e o preço da suíte que a gente queria uma facadinha (285 mangos), mas pra mim valeu CADA CENTAVO! Escolhemos a suíte com hidro e cromoterapia. Primeiro sobre o serviço: adorei a atenção. Como era longe pra mim e era sexta à noite, liguei pra recepção do motel, a moça que atendeu foi um amor. Disse que tinha uma suíte Cromo livre e, como eu estava à caminho, ela segurava pra mim, era só falar o nome na recepção.

A fachada do Acaso já é linda, a suíte então – uau! Show de design, tv linda enorme, tela plana, no meio do quarto e gira! Cama grande confortável e milagre: não soltou de jeito nenhum o lençol de baixo, a noite toda lá firme e forte! Tava tão bem preso que eu não consegui ver se era elástico ou uma dobra bem feita. Com espelho no teto, mas sem ser vulgar, mto legal!

A hidro parecia uma piscina, gigante, feita de ladrilhinhos e incrivelmente limpa. Não achei um cabelo, uma poeira, um inseto morto (tem teto solar, então sempre bom checar), nada nada nada! Enche relativamente rápido pro tamanho. A tal da cromoterapia mais ou menos, só uma luzinha que muda de cor, mas qdo apaguei a luz do quarto até que ficou bonito e deu um clima.

Pedimos comida, afinal o Acaso tb é gourmet e o preço da comida até que ok, preço de um barzinho. Pedimos um sanduíche de churrasco com queijo, que saiu na faixa de uns 20 reais, mto gostoso e super bem servido, e uma porção de picanha com mandioquinha, também nessa faixa de preço, a carne tava boa e a mandioquinha espetacular! Pedimos sobremesa e adorei o fato que eles deram um tempo em trazer a comida e depois a sobremesa. Geralmente trazem o sorvete junto e derrete tudo, aquela meleca!

Em suma, adorei tudo. Alliás observação para shampoo/condicionador oferecidos que não deixaram meu cabelo que nem palha! UHU! O banheiro é separado, tem um cubículo com a privada e outro com chuveiro que também é sauna. Pra mim, ser pequeno não incomodou em nada. Estava super limpo e a sauna funcionou mto bem. Só tem que tomar cuidado para não colocar o pé na saída do vapor: ouch!

O que incomodou o amor foi a complexidade do controle remoto, daqueles que controla tudo: TV, DVD e luzes. Mas depois de estudar um poquinho deu tudo certo.

Gastamos uma nota, mas a noite foi fabulosa! Recomendo MTO!

Motel: Acaso (http://www.acasomotel.com.br/)
Endereco: Av. Salim Farah Maluf, 6190
Preco: 285 reais na suíte de Cromoterapia
Nota: 10!
Ponto alto: são vários, mas o destaque vai pra limpeza e decoração

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.